Curiosidade sobre cegos
Figuras simbolizando pessoas com deficiência visual

gestão estratégica de pessoas

Postado há 2 anos

Por Jairo

A Gestão de pessoas possui foco gigantesco, pois visa integrar os trabalhadores em todos os contextos das organizações, atuando na ampliação de seus rendimentos. Para alcançar este objetivo, As diversas disciplinas voltadas a Psicologia Organizacional e do Trabalho, são observadas, inclusive abrangendo todas as atividades empreendidas pelas organizações. (DUTRA, 2014). 

Para mediar conflitos de condutas entre os objetivos da organização e a satisfação do colaborador, a gestão de pessoas aproveita sua interdisciplinaridade, utiliza-se de vários conhecimentos para defender “(...) à proteção das garantias e dos direitos trabalhistas desses mesmos colaboradores. (SOUZA et al., 2016, p. 03). Assim, podemos afirmar que a organização e o trabalhador, com orientações nas árias da: Saúde, assistência social, legislação, psicologia entre outras, poderão obter satisfação mútua.

Podemos aferir, segundo Almeida (2012, p. 36), que A gestão estratégica de pessoas vai se capilarizando em relação aos diversos temas e formas de atuação como: “(...) Sociologia Organizacional; a Psicologia do Trabalho; a Legislação Trabalhista e Previdenciária; a Medicina do Trabalho; a Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho; o Serviço Social; etc.”. Os profissionais que atuam nesta ária, devem ser consultores qualificados com visões generalistas, devendo se atualizar, trabalhando com foco no desenvolvimento das pessoas e nos resultados, sempre estimulando as parcerias e o pessoal. 

Os gestores de pessoas, além de se basilarem pelas legislações, que minimizam a desigualdade e a exploração, devem observar o que preconiza a dignidade da pessoa humana (AWAD, 2006). Remunerar dignamente seus colaboradores e lhe conceder outras vantagens, ou vislumbrar outras possibilidades, de acordo com as particularidades da organização, poderão ser os caminhos para o sucesso da empresa e dos colaboradores. Portanto, “(...) a valorização do capital humano, já que este passa a ser percebido pelas organizações como simbologia de sucesso ou insucesso (...)”. (MENEZES; ARAGÃO, 2013, p. 31), torna-se atualmente um fator determinante nas organizações. 

O direito do trabalho, de acordo com Turolla (2017), bem como com o Portal Educação (2018), objetiva a regulação jurídica da relação entre trabalhador e patrão, buscando uma adequada situação de trabalho em ambiente salubre e salário que lhe propiciará uma vida social digna. Ainda segundo o Portal Educação, este direito é um agrupamento de princípios, regramentos “(...) e instituições atinentes à relação de trabalho subordinado e situações análogas, visando assegurar melhores condições de trabalho e sociais ao trabalhador, de acordo com as medidas de proteção que lhe são destinadas.” (PORTAL EDUCAÇÃO, 2018). Obtendo a sociedade o referido direito, a possibilidade de abusos e injustiças é dificultada. 

Os empregadores ficam, em sua maioria preocupados, quando os trabalhadores buscam informações sobre seus direitos. O que os patrões podem não saber é que os seus colaboradores terão rendimento superior, quando estes estão satisfeitos com a política da empresa., O RH poderia “(...) se preocupar mais em esclarecer dúvidas inerentes as rotinas trabalhistas a seus funcionários, de maneira que ingressem na empresa plenamente conscientes de seus direitos, contribuindo assim, com um envolvimento maior entre funcionários e empresa.” (LAIRA; MARTINS, 2009, p. 01).

Quando os trabalhadores possuírem os conhecimentos sobre seus direitos e deveres, naturalmente, não permitirão abusos. A empresa, não teria políticas repressivas e sim colaborativas. Conclui-se que a satisfação seria mútua.

 Compreendendo o significado do capital intelectual de uma organização, ao enxergar os trabalhadores como parceiros, a assessoria jurídica preventiva tem por objetivo estratégico minimizar os problemas que abarcam as leis trabalhistas no âmbito da empresa. Como o setor de RH, invariavelmente não possui advogados, a assessoria mencionada, evitará de modo justo, novos ajuizamentos, reduzindo os custos processuais das empresas. Conforme Amaral (2014, p. 109), afirma “(...) a diminuição do número de processos trabalhistas diminui o passivo e melhora o ambiente de trabalho para o colaborador.”. Assim, contratar um escritório ou um advogado autônomo para prestar esta assessoria, pode ser algo factível para todos os tamanhos de empresas.

  REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Aline Sorprezo. Direito do Trabalho e Gestão de Pessoas: A Interdisciplinaridade e a Importância da Assessoria Jurídica Preventiva. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, XV, n. 100, maio 2012. Disponível em: ambitojuridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=11515 . Acesso em: 25 maio 2018.

AMARAL, José Messias Nunes. A Assessoria Jurídica Preventiva na Gestão dos Processos Trabalhistas. 2014. 120 f. Dissertação (Mestrado em Gestão de Organizações Aprendentes) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2014.

AWAD, Fahd. O Princípio Constitucional da Dignidade da Pessoa Humana. Revista Justiça do Direito, v. 21, n. 1, p. 111-120, 2006. Disponível em: seer.upf.br/index.php/rjd/article/viewFile/2182/1413 . Acesso em: 25 maio 2018.

DUTRA, Ademar. Gestão Estratégica de Pessoas (Livro Didático). 2ª Ed. Revisada e ampliada. Unisul Virtual. Palhoça. 2014.

LAIRA, Flávia Graça; MARTINS, Pablo Luiz. O Conhecimento sobre o Direito do Trabalho como Fator de Satisfação dos Funcionários. publicado no Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia - SEGeT. UFSJ, Rezende, 2009. Disponível em: www.aedb.br/seget/arquivos/artigos09/164_007%20-%20OK%20-%20Conhecimento.pdf . Acesso em: 28 maio 2018.

MENEZES, Josefa de Fátima; ARAGÃO, Fabiano dos Santos. Valorização Humana como Forma de Retenção de Pessoas nas Organizações Contemporâneas. Rev Eletr FJAV , v. 6, n. 8, p. 27-44, 2013. Disponível em: scholar.google.com.br/scholar_url?url=http%3A%2F%2Ffjav.com.br%2Frevista%2FDownloads%2Fedicao08%2FArtigo_27_44.pdf&hl=pt-BR&sa=T&oi=ggp&ct=res&cd=1&ei=D3QUW5TnLoLLmAH3r7f4DA&scisig=AAGBfm3eUnmAa1zg_gcIgU6hy4yjfURndA&nossl=1&ws=837x537 . Acesso em: 31 maio 2018.

PORTAL EDUCAÇÃO. Direito do Trabalho - Conceitos Básicos. Disponível em: www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/direito/direito-do-trabalho-conceitos-basicos/24540 . Acesso em: 27 maio 2018.

SOUZA, F. M. S. et al. Direitos do Trabalhador no Ámbito dos Direitos Humanos Fundamentais: Uma Visão Interdisciplinar na Gestão de Pessoas. 2016. Disponível em: ambitojuridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=11515 . Acesso em: 28 maio 2018.

TUROLLA, Rodolfo. Princípios do Direito do Trabalho. 2017. Disponível em: www.politize.com.br/principios-do-direito-do-trabalho/ . Acesso em: 27 maio 2018.

480 Visualizações